entretanto

"Trinkender Knabe (Adolf von Hildebrand) - rapaz a beber" / "boy drinking"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
110 x 160 cm
, 2007




"a ficha"/ "the plug"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
108 x 160 cm
, 2006




"água quente"/ "hot water"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
108 x 160 cm
, 2006




"a leitura"/ "the reading"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
120 x 160 cm
, 2006




"B3"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
120 x 170 cm
, 2006




"predador"/ "predator"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
110 x 160 cm
, 2006





"graffiti de sabão"/ "soap graffiti"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
120 x 170 cm
, 2006




"a mudança"/ "the change"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
120 x 160 cm
, 2007




"no consultório"/ "in the doctor's office"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
110 x 170 cm
, 2007





"a subir"/ "going up"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
110 x 160 cm
, 2006





"a ameaça"/ "the threat"
Acrílico sobre tela /Acrylic on canvas
110 x 160 cm
, 2006




Partilha de uma reflexão
Situações de um quotidiano que me intriga. Estímulos que agem sobre o intuitivo para depois fazer desencadear o pensamento. Flashes que despertam o olhar fixo e provocam uma reacção.
São dois os acessos que me proporcionam o encontro com estas situações. Por um lado são imagens da realidade que me despertam ideias abstractas, por outro são ideias abstractas que se tornam reais no momento da criação material de uma imagem.
No seu conjunto as imagens ambicionam uma ideia de real, uma compreensão da realidade.
Nascem de uma relação estreita com a realidade quotidiana, mas evoluem no sentido de uma abstracção da forma, quebrando as redes do reconhecimento.
Instantâneos fotográficos de momentos furtuítos que, pelo processo da pintura, se tornam lentos, demorados, quer pelo tempo do fazer, quer pela sua nova forma de apresentação.
Momentos transitórios de uma acção que continua. Suspensos entre um tempo e o outro, são o “entretanto” de uma acção, o intervalo que surge para que se possa pensar no que se vê.
Berlim, Março de 2007
Joana Lucas